É mudar. Ou mudar de vez

Estou de volta. E depois de mais de duas semana na Itália (e outros tantos dias na Espanha) não faltam temas para este blog. Vou procurar, nos próximos dias, tratar dos assuntos que esquentam o noticiário italiano e passar por aqui um pouco do clima dos torcedores que captei por lá. Agora, contudo, o tema tem que ser o fiasco da Itália na Copa das Confederações.

Eu bem sabia que não ia dar certo esse negócio de colocar a Lazio para representar a Azzurra na África do Sul… ; )

Brincadeiras sobre o uniforme à parte, e em que pese a ótima atuação da seleção brasileira, foi o pior jogo da Itália nos últimos tempos. Segundo o próprio Marcelo Lippi, “é a pior fase” desde que ele assumiu o time. Para Buffon, “foi melhor sair agora” pra não levar outra cacetada, talvez ainda pior, da Espanha. E a Gazzetta dello Sport, desde a derrota para o Egito, segue chamando os jogadores de múmias. Climão…

Não surpreende o fato de a Itália não ter criado muitas chances contra o Brasil. Primeiro porque, afinal, o rival era o Brasil. Segundo porque nunca impressiona o fato de a Itália não criar. E terceiro porque essa seleção italiana não conta com jogadores excpecionais, aqueles capazes de tirar leite de pedra — Pirlo, talvez, seja quem mais se aproxime dessa categoria no atual grupo da Azzurra; mas é pouco.

Hoje, como há um bom tempo, o futebol italiano tem apenas três jogadores nessa categoria, e nenhum deles está na atual seleção de Lippi, cada um por um motivo. Del Piero, porque já está na fase descentente de sua carreira e, convenhamos, porque poucas vezes mostrou na seleção o mesmo futebol da Juventus. Caso parecido com o de Totti, que, contudo, abriu mão da Azzurra (mas há quem diga que, se Lippi pedir, ele volta). E Cassano, indiscutivelmente o melhor jogador Italiano da Série A e a quem o treinador só não chama por questões disciplinares e de grupo.

Lippi sempre se orgulhou, com razão, de ter formado um elenco muito unido para jogar a Copa de 2006. Agora, acho eu, terá que se orgulhar de conseguir manter a união desse grupo mesmo com a presença de um maluco como Cassano. Porque abrir mão de sua qualidade em um ataque como o seu é loucura. E a volta de Totti, bem mais que a de Del Piero, não seria nada mal. São temas que certamente entrarão em pauta na imprensa esportiva italiana nos próximos dias.

Se a postura ofensiva da Itália não surpreendeu, a defensiva foi uma surpresa e tanto. Porque não me lembro, sinceramente, de a Azzurra ter dado tanto espaço a um adversário, por melhor que este fosse.

A questão ontem, acho, foi mais tática do que de escolha dos jogadores (porque a dupla Cannavaro/Chiellini é mesmo o que Lippi tem de melhor). Mas a opção por escalar o limitado Dossena (como alguém como ele chega ao Liverpool?) e não ter em nenhum momento testado o promissor Santon é talvez o melhor exemplo (ao lado da manutenção de Rossi no banco) do quanto Marcelo Lippi reluta para renovar a seleção italiana.

Ou relutava. Porque, depois do fiasco na copa da Confederações, acho que não lhe restarão muitas opções. Como diria aquele famosos apresentador, chegou a hora de mudar. Ou mudar de vez.

“De brinde”, as notas da Gazzetta para os jogadores da partida de ontem:

Itália
Buffon 6,5; Zambrotta 4, Cannavaro 4,5, Chiellini 5 e Dossena 4,5; Pirlo 5,5, De Rossi 4,5 e Montolivo 4,5 (Pepe 5,5); Camoranesi 6, Toni 4 (Gilardino 6) e Iaquinta 4 (Rossi 6). Marcelo Lippi 4.

Brasil
Júlio César 6,5, Maicon 7, Lucio 8, Juan s/n (Luisão 7) e André Santos 6,5; Gilberto Silva 7,5 (Kleberson s/n), Felipe Melo 7, Ramires 6,5 (Josué s/n) e Kaká 7; Robinho 8 e Luis Fabiano 8. Dunga 8.

Anúncios

Sobre Gian Oddi

Jornalista, é hoje comentarista dos canais de televisão ESPN e ESPN Brasil. Trabalhou por sete anos como editor da revista e do site de Placar. Em duas passagens pelo portal iG, onde esteve por mais de cinco anos, foi editor de esportes e editor-executivo de esportes, ciência e tecnologia. Morou por um ano em Roma, produzindo matérias para a Placar e outras publicações da Editora Abril. Do Brasil, foi colaborador do diário espanhol Marca. Editou por seis anos o blog A Bola na Bota, sobre futebol italiano.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

9 respostas para É mudar. Ou mudar de vez

  1. CLAUDIO disse:

    O Q A ITLAI TEM Q RECORRER NAO É A ASTROS DO PASSADO E SIM…APOSTAR UM POUCO NA OFENSIVIDADE….

    PQ JOGAR COM 1 LINHA DE ZAGUEIROS…E LATERAIS Q NAO APOIAM….
    E UMA OUTRA LINHA DE 4 MEIO CAMPISTAS Q SAO TUDO VOLANTE…..E NA FRENTE COM 2 POSTE…..NUM TEM TIME Q AGUENTA….NEM O BRASIL SE JOGASSE ASSIM NINGUEM..PQ ISSO É ANTI FUTEBOL….
    GATUSO É BOM…É…MARCANDO..PIRLO É BOM…É…MARCANDO E SAINDO PRO JOGO…E QUEM CRIA????????????????????????????????????????????????????????

    EU NAO ME ESPANTEI NENHUM POUCO A DERROTA PRO EGITO……..E OS EUA SÓ NUM GANHOU TBM…PQ QND ELE COLOCOU UM MEIA E UM ATACANTE A COISA MUDOU…..LIPPI TEM Q VER Q O ESTILO DE FUTEBOL DELE É ULTRAPASSADO….

    TANTO Q FEZ 2 SUBSTITUIÇOES NO PRIMEIRO TEMPO….
    LAMENTAVEL A ITALIA….PIOR DE TUDO AINDA VAO PRA UMA COPA…ONDE PASSARAO MAIS VEXAME AINDA.

  2. alex disse:

    A Italia, não esta ultrapassada, um pais que jogadores como Buffon, Nesta, De rossi, Totti, Cassano, Pirlo, fazem uma grande seleção.

    mas ja vi a Italia perder uma copa do mundo como em 1.990, tendo jogadores como zenga, baresi, maldini, bergomi, donadoni,
    gianini, robert baggio e muitos outros.

  3. Francisco Marconi disse:

    Você é fã mesmo do Cassano, em?

    Eu também gosto muito dele, mas não acho que ele tenha essa bola toda.

  4. shadow disse:

    Entre escalar Dossena e o cone,prefiro escalar o cone!

  5. Paulo Silva disse:

    Na minha opinião, logo após a Itália ter ganhado a copa, deveria ter começado a se reformular. Vejo já jogadores italianos com idade avançada para o futebol começando pelo próprio Buffon. Acho que ainda tem jogadores que podem dar algo como o Gattuso e o Pirlo, mas dos antigos acho que é só. A Azurra estaria bem servida se Totti e Del Piero voltassem, porém não acho que eles devam jogar a partida inteira, ou seja, começariam como titulares e se não estivessem fazendo um bom jogo, deveriam ser substituidos por jogadores mais jovens. Veja que para o Lippi colocar o Cassano, teria que começar desde agora um trabalho psicológico, não necessáriamente com psicólogos, mas de muita conversa entre os dois. Já vi o Edmundo jogar na seleção e não criar nenhum problema provavelmente porque houve uma conversa de bastidores. Acho que o Lippi deve primeiro se aproximar durante o Campeonato Italiano, e ter umas conversas em OFF com o Cassano. Depois colocá-lo em alguns amistosos e jogos das eliminatórias para que ele possa ir se adaptando ao clima do grupo. Mas esse clima tem que mudar já, afinal a Itália não é qualquer seleçãozinha de algum local remoto e tem que se mancar e honrar os quatro títulos mundiais que possui. A itália sempre passa por momentos difíceis e tem 4 títulos mundiais, imagine se diminuisse esses problemas acho que teriamos um time nivelado com o Brasil, afinal está na cara que a Espanha é “nuvem passageira”, enquanto que Brasil e Itália são nuvens pra lá de permanentes. Agora isso exige uma grande responsabilidade do sr Lippi.

  6. renato disse:

    buffon, santon, cannavaro, chielini e grosso; de rossi, pirlo, aquilani e camoranesi; cassano e rossi.
    montolivo, giovinco e quagliarela merecem chance…
    gattuso tb não deveria ser descartado.
    agora não entendo essa fixação por postes: toni, iaquinta e gilardino!?!?!? se jogar um só vai lá, agora 2?!?!?!

  7. Monik disse:

    – Desculpe Sr. Oddi mas não pude deixar de retornar!
    Como gostaria de ver a sua cara na derrota da Itália! Vou refrescar a sua memória sem ironias, pelo contrário! A Itália só tem bom futebol porque lá há muitos brasileiros, argentinos e sul-africanos. E mesmo assim só dá aquela Ínter…pouca diversidade de talentos não?
    Ganhou a Copa de 2.006 por sorte e a sorte não costuma bater duas vezes na mesma porta. A máscara está caindo e a verdade aparecendo, provavelmente serão mais 24 anos sem título mundial.
    E fiquei admirada de não pedir a volta do…Mater…como é mesmo o nome dele? Pra provocar e bater, só assim a Itália consegue ganhar.
    – Grata e até logo!
    Monik

  8. Hellerson-Azzurri disse:

    Concordo com o Paulo Silva que a Itália deveria ter comessado mais forte a reformulução da seleção. Mas nunca é tarde para um recomesso. Temos um ano para a copa, até lá, veremos mais uma temporada, e quem irá se destacar. Tomara que Lippi entenda que isso é preciso.

  9. Helen disse:

    Quando vi o Luca Toni cantando o hino já vi que o jogo ia ser favoráve ao Brasil… De verdade, o futebol alemão conseguiu estragar o futebol que o Toni tinha, porque o cara não tá jogando nada!
    O problema da Itália é evidente, eles não investem nas categorias de base e faltam jogadores pra Azzurra… aí o Lippi é obrigado a convocar os mais velhinhos, e ninguém pode querer reformas profundas porque ele tem a disposição os “melhores”. O máximo que ele poderia fazer é testar Santon, tentar convencer o Totti a voltar e convocar o Cassano (que tb nao foi suficiente pra fazer a Itália vencer a Euro. Falam nele como se fosse a soluçao de todos os problemas). Além disso, a Itália começou tentando fazer linha de 4 pra provocar impedimento… Mas contra o Brasil?? Mah, per favore!!
    E detalhe, Dossena não merecia ter a nota igual à de DDR e Luis Fabigol merecia 9.

    OBS: realmente, as cores da Lazio… vc por acaso é giallorosso?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s